I Simpósio Regional Nordeste da ABHR – Informações

Algumas informações do Prof. João Marcos para os que participaram do evento:

  1. O conteúdo do site do evento mudou de endereço: http://www.abhrne.blogspot.com.br/
  2. Sobre o ISSN dos anais do simpósio: os organizadores do simpósio estão aguardando a Biblioteca Nacional liberar o número do ISSN. Tudo o que era de responsabilidade da organização do simpósio foi feito. Agora resta aguardar a liberação do ISSN por parte da BN. Às vezes esse procedimento demora um pouco.

I Simpósio Regional Sul da ABHR – Informações gerais

1ª Circular

 

Uma das matrizes do processo de universalização das religiões monoteístas euro-asiáticas foi a constituição progressiva e complexa de uma concepção linear de tempo. O triunfo na fé monoteísta é o triunfo de uma fé sem espaço, o que acaba por ensinar outras concepções religiosas a convergir ao mesmo projeto. Entretanto, paradoxalmente, permaneceram, ao longo da história, as referências tensas a espaços especificamente considerados sagrados. O paradoxo dá conta de que não há tempo sem espaço. Entretanto, o discurso historicizante da fé monoteísta – inclusive apropriado por outras formas religiosas – avança mediante a homogeneização dos espaços e das temporalidades num processo similar ao discurso profanizante do secularismo: não há espaços nem tempos qualitativamente distintos. Porém, espaços densos, sobreviventes desta assepsia discursiva, estão estruturando discursos dissidentes. Novos conceitos procuram dar conta desta situação. Fala-se de contexto, região, margem, diáspora, exílio, lugar, adjacência, praça (cena) pública, fronteira, fluxo, etc. São experimentos teóricos que buscam captar a vitalidade da religião e da economia em seus multifacetados intercâmbios em tempos de recuo do historicismo moderno.

Diante deste contexto e desta motivação, a presente circular lança um convite para participação no I Simpósio Regional Sul da Associação Brasileira de História das Religiões, que será realizado na Faculdades EST, em São Leopoldo, RS, entre os dias 17 a 19 de outubro de 2013. Esta circular apresenta as principais informações sobre inscrição, apresentação de comunicação, principais prazos, taxas de inscrições, programação prévia, hotelaria e localização, além de informações atinentes à publicação dos textos completos.

 

Como se inscrever?

O I Simpósio Regional Sul da Associação Brasileira de História das Religiões está aberto para participação ao público em geral. Os/as interessados/as em apenas assistirem a uma ou outra palestra e que não necessitem de emissão de qualquer tipo de certificação ou atestado podem participar do congresso sem inscrição prévia e sem custos.

Para aqueles que desejam participar como ouvintes ou como apresentadores de trabalho (comunicação) e receber o material promocional do evento e certificação deverão realizar a inscrição clicando aqui. Estes receberão certificação de participação e, se apresentadores, o certificado de apresentação de trabalho, desde que tenham efetivado a inscrição por meio do pagamento da taxa e, se apresentadores, comparecido na data e no horário definidos pela organização do evento para sua apresentação.

 

Como apresentar uma comunicação? 

O/A participante que deseja apresentar uma comunicação, um trabalho, um projeto de pesquisa, deverá carregar um arquivo em Word (extensões .doc ou .docx) no formulário de inscrição, no ato do preenchimento deste. A página para o carregamento do(s) arquivo(s) surge na página seguinte à inclusão dos dados cadastrais. O arquivo em Word deverá conter os seguintes tópicos:

  1. Nome Completo do/a(s) autor/a (es/as)
  2. Titulação
  3. Instituição
  4. E-mail para contato
  5. Simpósio Temático pretendido (!)
  6. Título do trabalho
  7. Resumo (até 250 palavras)

(Utilizar a opção de contar palavras do editor de texto)

  1. Palavras-chave (3 a 5 palavras)

Cada autor/a poderá encaminhar até duas propostas (resumos) de apresentação, desde que sejam para Simpósios Temáticos (STs) distintos. Ambas as propostas deverão ser anexadas ao formulário no ato da inscrição.

Cada proposta poderá conter até três autores. Neste caso, todos/as os/as autores/as deverão realizar a inscrição, o pagamento da taxa e anexar o mesmo resumo no formulário.

Orientação não configura coautoria. Caso a proposta seja um trabalho sob orientação de um pesquisador/a ou professor/a, a descrição da pesquisa e sua orientação deverá vir indicada na primeira nota de rodapé. Caso o/a orientador/a seja efetivamente coautor/a do texto, juntamente com seu/sua orientando/a, deverá igualmente realizar a inscrição, o pagamento da taxa e anexar o mesmo resumo no formulário de inscrição.

O formulário de inscrição está disponível aqui.

 

Atenção: o prazo para envio do resumo é 10 de agosto de 2013.

O aceite será encaminhado a partir do dia 20 de agosto de 2013, por e-mail aos inscritos. O recebimento do aceite significa que a comissão científica aprovou a proposta e que ela será inserida na programação do evento, desde que o/a proponente confirme sua inscrição por meio do pagamento da taxa de inscrição até o dia 06 de setembro de 2013.

Opcionalmente, o/a inscrito poderá encaminhar o trabalho completo para avaliação e, se aprovado, publicação nos anais eletrônicos do I Simpósio Regional Sul da ABHR, a ser publicado no formato de livro eletrônico. O prazo para envio deste texto completo é 13 de setembro de 2013.

Lembramos que o trabalho completo deverá seguir estritamente as orientações de apresentação, formatação e envio disponibilizadas nesta circular. Além disso, os melhores textos serão selecionados por uma comissão para integrarem um dossiê no periódico Protestantismo em Revista, a ser publicado em dezembro de 2013.

Ao submeter o texto completo, o/a autor/a está autorizando a publicação no livro do evento e, caso selecionado, no dossiê do periódico Protestantismo em Revista.

Demais observações relativas à inscrição:

  • Ouvintes receberão certificado de participação no ato do credenciamento
  • Participantes com apresentação oral receberão certificado de participação no ato do credenciamento e certificado de apresentação no ato da apresentação.  eventual ausência na participação implica no não recebimento da certificação.
  • Não haverá ressarcimento de taxa de inscrição em caso de não comparecimento.

 

Simpósios Temáticos do I Simpósio Regional Sul da ABHR

1 – Corpo, Cultura e Religião

Coordenação:

Profa. Dra. Ana Carolina Rigoni (UFSJ),

Prof. Drando. Anaxsuell Fernando da Silva (UEM),

Proposta do Simpósio: O corpo posiciona o indivíduo em um espaço de experiência e sociabilidade, de modo que este pode ser compreendido como parte importante do processo pelo qual o conhecimento religioso é integrado a certas disposições corporais e modos de orientação. Propomos com este ST fomentar a discussão que se estabelece entre a dimensão corpórea e o sagrado, compreendendo o corpo não como mero receptáculo do sagrado, ou mesmo como apenas expressão deste, mas como elemento fundamental para se compreender o universo religioso. Ao se presentificar no encontro regional sul da ABHR, este ST dá continuidade aos esforços empreendidos na etapa nacional do encontro desta associação ocorrido no ano anterior, bem como em outras etapas regionais ao longo deste ano (nordeste e sudeste) e se consolida como um espaço aberto às mais diversas interfaces que se possam estabelecer com o corpo e com o sagrado: gênero, saúde, festa, rituais etc.

 

2 – Religiões e Religiosidades na Atualidade: Linearidades e Rupturas

Coordenação:

Profa. Dra. Maria Clara Ramos Nery (ULBRA),

Doutorando Celso Gabatz (UNISINOS),

Proposta do Simpósio: Este simpósio visa abordar as diversas manifestações religiosas na atualidade, tendo em vista a identificação de linearidades e rupturas nas narrativas. O objetivo é refletir sobre as permanências, as transformações e as tensões relacionadas à pluralidade de expressões da fé religiosa contemporânea. O Simpósio pretende ser um espaço para apresentação de resultados de pesquisas empíricas e reflexões de cunho teórico e metodológico que possam contribuir na construção analítica do tema.

 

3 – Tradição de Matriz Africana e Fronteiras

 Coordenação:

Profa. Doutoranda Lilian Conceição da Silva Pessoa de Lira (EST),

Prof. Doutorando Marcos Rodrigues da Silva (PUC-SP),

Profa. Dra. Vera Regina Rodrigues da Silva (UNILAB-CE),

Prof. Dr. Luis Tomás Domingos (UNILAB-CE)

Proposta do Simpósio: O ST Tradição de Matriz Africana e Fronteiras é um espaço de debate transdisciplinar no campo das Ciências Humanas, especialmente da Teologia e das Ciências da Religião, que se dedica à análise teórica da cosmovisão da tradição de matriz africana, a partir de sua territorialidade, valores civilizatórios e afrocentricidade, no contexto dos diálogos fronteiriços estabelecidos tanto internamente (entre as tradições africanas) como externamente (com outras matrizes religiosas).

4 – Questões religiosas contemporâneas

Coordenação:

Prof. Dr. Alessandro Bartz (FACOS),

Prof. Dr. Rodrigo Portella (UFJF),

Proposta do Simpósio: O ressurgimento do interesse pela pesquisa sobre religião, nas últimas décadas, reacendeu a discussão sobre os tradicionais paradigmas do estudo da religião e a superação das teses da secularização, da privatização e do fim da religião nas sociedades modernas. O campo religioso na atualidade é tratado como plural e multifacetado, o que justifica a variedade de interesses e enfoques nos campos de pesquisa. O ST “Questões religiosas contemporâneas” pretende acolher estudos e pesquisas sobre o fenômeno religioso na contemporaneidade, a partir de diversas perspectivas teóricas e metodológicas, reunindo pesquisas sobre as tradições religiosas contemporâneas, a dissolução das fronteiras, as relações com a sociedade, o Estado, a política, a mídia, saúde; o lugar das instituições religiosas no quadro de diversificação do campo religioso, diante das novas formas de crer, da subjetivação, da mobilidade e do trânsito religioso, das duplicidades e multiplicidades dos pertencimentos.

 

5 – Protestantismo: identidade, espaço, fronteiras

Coordenação:

Prof. Dr. Wilhelm Wachholz (EST),

Prof. Doutorando André Augusto Bousfield (EST),

Prof. Doutorando Vanildo Luiz Zugno (ESTEF),

Proposta do Simpósio: Neste início de século XXI, a religiosidade se apresenta em alta, contrastando, aparentemente, com os avanços, domínios e seguranças científicos. O movimento de intensificação de manifestações religiosas, contudo, não se faz perceber da mesma forma no protestantismo histórico que, a partir do início do século XX, já dava mostras de estagnação. O protestantismo histórico, de forma mais explícita ou implícita, apresentou-se desde sua inserção no Brasil no século XIX, como força civilizatória e, em caráter polêmico, denunciou o catolicismo romano como corrupto e retrógrado e o povo latino como depravado, endemoniado, supersticioso, selvagem e bárbaro. A partir de uma hermenêutica “ortodoxa”, o protestantismo buscou estabelecer-se, combatendo o que julgava uma religião deficiente. Este protestantismo encontra-se numa encruzilhada ante as manifestações religiosas caracteristicamente pentecostais e neopentescostais. Existem e onde estariam as chances do protestantismo histórico? Neo-Pentecostalizar-se? Crioulizar-se? O que significaria isso? Ou o protestantismo histórico definitivamente tornou-se irrelevante para a cultura, sociedade, política, economia brasileiras? O simpósio se propõe a acolher reflexões sobre as chances, desafios, possibilidades, identidade, fronteiras e espaço do protestantismo histórico brasileiro no contexto de aprofundamento/superficialização religioso/a.

 

6 – Teologia, mídias e cultura pop

Coordenação:

Prof. Dr. Iuri Andréas Reblin (EST),

Prof. Ms. Doutorando Amaro Braga Jr. (UFAL),

Proposta do Simpósio: Este fórum temático visa discutir a inferência da teologia nas produções-artístico-culturais e suas narrativas de ficção próprias da cultura contemporânea veiculadas pelas mais diferentes mídias: cinema, televisão, histórias em quadrinhos, desenhos animados, animações, etc. Tem por pressuposto o conceito da teologia do cotidiano, isto é, do pensamento teológico ordinário, extraeclesial que se imiscui nos meandros das produções artístico-culturais, ora de forma mais explícita, ora menos. Conforme salientou Umberto Eco, “E, assim, é fácil entender por que a ficção nos fascina tanto. Ela nos proporciona a oportunidade de utilizar infinitamente nossas faculdades para perceber o mundo e reconstituir o passado”. Nessa direção, o fórum está aberto para discussões que contemplem leituras, análises e usos do pensamento teológico e sua expressão, apresentação e representação na cultura pop em geral. As abordagens podem compreender perspectivas no espectro amplo das ciências humanas e das ciências sociais aplicadas (educação, sociologia, antropologia, política, história, geografia, comunicação, etc.). Os trabalhos podem se ocupar com estudo tanto de narrativas quanto de personagens ou séries específicas.

 

7 – Lugares e territórios dos direitos humanos:
pertença e apropriação dos espaços aviltados

Coordenação:

Prof. Dr. Solon E. A. Viola (UNISINOS),

Prof. Doutorando Paulo C. Carbonari (IFIBE),

Prof. Dr. Valério G. Schaper (EST),

Profa. Ms. Virgínia Feix (Coord. Cátedra Direitos Humanos, IPA),

Proposta do Simpósio: As lutas e as reivindicações de grupos e movimentos foram, por muito tempo, interpretadas como parte de um amplo movimento histórico. A ação social desenrolava-se no interior de uma dinâmica histórica linear, esquecida das dimensões espaciais. A concreticidade histórica dizia mais respeito ao tempo do que ao espaço. Os direitos humanos foram forjados neste contexto e compartilharam em grande medida destas concepções. Em termos teóricos genéricos é possível dizer que estas correntes propunham um universalismo abstrato, que supunha uma dignidade humana sem referências espaciais. As lutas dos povos indígenas, dos grupos religiosos, dos quilombolas, dos portadores de deficiência, das mulheres, dos agricultores sem terra evidenciaram, porém, que não há direito sem espaço; melhor dito, não há direitos sem espaços aos quais se pertence pela vivência e pela experiência (lugares) ou sem espaços apropriados através da luta contínua, em nível político e econômico (territórios).  Mais e mais fica patente que tempo e espaço não são dimensões vazias ou meras estruturas de apreensão da realidade. Se a temporalidade conhece “calendas” e festas, a espacialidade conhece espaços de densidade variada. Mais do que isso, sabe-se hoje que os direitos necessitam do espaço para consolidar sua eficácia. Posto isto, este simpósio quer acolher pesquisas que tematizem, de formas multidisciplinares ou interdisciplinares, a questão do lugar e do território no desenvolvimento da reflexão sobre direitos humanos no Brasil.

 

8 – Fronteiras religiosa/teológicas e Transversalidade:
Pentecostalismo e Neopentecostalismo

Coordenação:

Prof. Dr. Oneide Bobsin (EST),

Prof. Doutorando Claiton Ivan Pommerening (REFIDIM),

Proposta do Simpósio: A Teologia da Prosperidade, oriunda dos Estados Unidos,  transcende as organizações religiosas que lhe dão suporte por meio de reelaborações contextualizadas, buscando influenciar o pentecostalismo tradicional e absorvendo, pela negação afirmativa, as religiões de matriz africanas e o kardecismo, entre outras. Nesta perspectiva, torna-se uma religiosidade “líquida”, capaz de amalgamar a multiforme religiosidade brasileira, ao mesmo tempo em que transpõe a fronteira entre sagrado e profano para além do campo religioso.  Bens simbólico-religiosos fundem-se com os produtos da sociedade de consumo capitalista, reeditando, de certa forma, a afinidade eletiva entre religião e economia.

9 – Para além do sagrado e do profano – Meio século e mais de história das mulheres e mulheres na história da teologia e das religiões

Coordenação:

Programa de Gênero e Religião – Faculdades EST

Prof. Dr. André Musskopf (EST),

Profa. Ms. Márcia Blasi (EST),

Proposta do Simpósio: Sagrado, profano, público, privado, teoria, prática, tempo, espaço, margens, fronteiras, cartografias, histórias, narrativas, experiências tem sido objeto de estudo e reflexão teórica por inúmeras mulheres em todos os tempos e, de maneira renovada, a partir da emergência das teorias feministas e dos estudos de gênero. Como resultado, esses conceitos foram discutidos, criticados, desconstruídos, reconstruídos, compondo um amplo mosaico de reflexões teóricas e práticas, inclusive por parte de homens que encontraram nessas reflexões aporte para suas pesquisas e investigações. Desde esse campo de estudo, há uma grande produção sobre essas temáticas que ainda permanece invisibilizada em todas as áreas da produção do conhecimento. Não é diferente no campo da teologia, das ciências da religião e da teologia. O objetivo desse Simpósio Temático é visibilizar e refletir sobre essa produção através da apresentação de pesquisas que discutam a produção já realizada, bem como apresentem novos desenvolvimentos a partir do feminismo e dos estudos de gênero sobre essas temáticas.

 

10 – O Puro e o Impuro: textos sagrados e delimitação da esfera divina

Coordenação:

Prof. Dr. Carlos Arthur Dreher (EST),

Prof. Doutorando Ruben Marcelino Bento da Silva (EST),

Proposta do Simpósio: Neste espaço, pretende-se discutir olhares diversos lançados sobre as prescrições reguladoras do contato com o Sagrado determinadas nos textos fundamentais das variadas tradições religiosas. Em tempos de florescimento de espiritualidades orientadas cada vez mais pela valorização da autonomia do indivíduo, os debates contemplarão possibilidades hermenêuticas de recepção de conceitos como “puro” e “impuro”, “sagrado” e “profano”, os quais remetem a percepções do Divino como realidade essencialmente heterônoma, isto é, legítima e exclusivamente administrada à pessoa por instâncias devidamente autorizadas a priori.

11 – Interfaces entre Religião e Educação

Coordenação:

Prof. Dr. Remí Klein (EST),

Prof. Dr. Lourival José Martins Filho (UDESC),

Proposta do Simpósio: O Simpósio Temático visa oportunizar socializações de pesquisas acadêmicas e práticas educativas vinculadas à área de religião e educação, em especial ao Ensino Religioso nas escolas brasileiras, refletindo sobre o seu lugar e o seu papel no espaço público, com foco e enfoque no seu amparo legal, na sua proposta curricular e na formação docente específica para esta área de conhecimento, inserindo-se no debate geral sobre o tema do evento: Cartografias do sagrado e do profano: religião, espaço e fronteira.

 

Quais são os principais prazos e datas?

10 de agosto de 2013: Data-limite para envio de resumo, por e-mail.

20 de agosto de 2013: Divulgação do Aceite dos Resumos.

06 de setembro de 2013: Data-limite para pagamento inscrição apresentadores/as.

13 de setembro de 2013: Data-limite para envio de texto completo.

10 de outubro de 2013: Data-limite para inscrição para ouvinte.

11 de outubro de 2013: Data-limite para pagamento para inscrição ouvinte.

17 a 19 de outubro de 2013: Realização do Simpósio.

19 de outubro de 2013: Publicação dos anais eletrônicos do Simpósio.

Investimento

Participação como ouvinte: R$ 40,00

Participação com apresentação de trabalho conforme as seguintes categorias:

Estudantes de Graduação: R$ 60,00

Estudante de Pós-Graduação: R$ 80,00

Docentes, pesquisadores/as, profissionais: R$ 100,00

Programação Prévia

17 de Outubro e 2013 18 de Outubro de 2013 19 de Outubro de 2013
09h00

 

Credenciamento

Mesas Redondas

Palestra

Prof. Dr. Oneide Bobsin

“Lacunas – espaços não cartografados – o mapa perdido”

10h30

Intervalo

Intervalo

11h00

Mesas Redondas

Reações

12h30

Intervalo para Almoço

Intervalo para Almoço

13h00

Abertura

13h30

“A ABHR e os estudos da religião no Brasil”

Prof. Dr. Wellington Teodoro da Silva – Presidente da ABHR, Professor do PPGCR/PUC-Minas

 

Profa. Dra. Karina Kosicki Bellotti – Coord. da ABHR-Sul, Departamento de Historia/UFPR

 

 

 

 

 

Simpósios Temáticos

 

 

 

 

 

Simpósios Temáticos

15h30

Intervalo para Cafezinho

Intervalo para Cafezinho

Intervalo para Cafezinho

16h00

Simpósios Temáticos

Simpósios Temáticos

Simpósios Temáticos

18h30

Intervalo

Intervalo

Encerramento

19h00

Palestra Pública Principal

Mesa Redonda:

A Religião nas interfaces entre o Público e o Privado

 21h00

Coquetel

Lançamento de Livros

 

 

Observação: A programação detalhada estará sendo confirmada aos poucos no site oficial do evento. Visite-o para saber das novidades e atualizações!

 

Opções de Hospedagem

CASA MATRIZ DE DIACONISAS

Avenida Wilhelm Rotermund, 395 / Morro do Espelho – São Leopoldo – RS

Telefones: (51) 3037-0037 – (51) 3037-0038 – E-mail: retiros@diaconisas.com.br

 

CONVENTO MONTE ALVERNE

Rua São José, 584 / São José – São Leopoldo – RS

Telefones: (51) 3588-7581 – E-mail: montealverners@gmail.com

 

CASA DO ESTUDANTE UNIVERSITÁRIO CRISTO REI (CEUNI)

Avenida Unisinos, 1555 / São João Batista – São Leopoldo – RS

Telefones: (51) 3589-8503 – E-mail: casaceuni@gmail.com

 

HOSPEDAGEM Faculdades EST

Rua Amadeo Rossi, 467/ Morro do Espelho – São Leopoldo – RS

Telefone: (51) 21111400 – E-mail: irma@est.edu.br

 

HOTEL SUAREZ SÃO LEOPOLDO

Rua São Caetano, 273 / Centro – São Leopoldo – RS

Telefones: (51) 3037-5000 – (51) 3037-5001

 

HOTEL LÁBOR EXECUTIVO

Rua São Caetano, 235 / Centro – São Leopoldo – RS

Telefones: (51) 3590-3222

 

HOTEL EXPRESS CONFORT

Rua Independência, 654 / Centro – São Leopoldo – RS

Telefones: (51) 3037-6565 – (51) 3037-6570

HOTEL EXPRESS SÃO LEOPOLDO

Rua São Caetano, 253 / Centro – São Leopoldo – RS

Telefones: (51) 3037-4444 – (51) 3037-4445

 

HOTEL 10

Avenida Getúlio Vargas, 3952 / São João Batista – São Leopoldo – RS

Telefones: (51) 3588-4653

 

Mapa de Localização das Salas e Banheiros
e demais dependências dentro do Campus da Faculdades EST

Mapa de Localização da Faculdades EST em São Leopoldo

 

Instruções gerais para a formatação do texto completo

 

* O trabalho completo deverá ter entre 12 e 15 páginas.

 

Elementos textuais: Corpo do texto em fonte Arial tamanho 12pt, espacejamento entrelinhas 1,5, recuo da primeira linha do parágrafo em 1,5 cm, alinhamento justificado. Os tópicos e os subtópicos não deverão ser numerados. Os tópicos deverão vir em negrito, sem recuo de primeira linha. E os subtópicos, se houver, deverão vir em itálico com recuo de primeira linha de 1,5 cm.

 

Apresentação geral:

  • Título em negrito, em fonte Arial tamanho 14pt
  • Autoria (com nota de rodapé indicando: titulação, vinculação institucional, agência de fomento, se houver, linhas de pesquisa ou temas em que atua, e-mail para contato e link do currículo lattes.
  • O trabalho deve iniciar com Considerações Iniciais e terminar com Considerações Finais. Os tópicos de desenvolvimento são de livre escolha da autoria.

 

Não haverá elementos pós-textuais (lista de referências). Todas as indicações de referências utilizadas no corpo do texto deverão vir apenas em nota de rodapé no sistema autor-data de acordo com a norma NBR 10.520 da ABNT, à exceção da primeira menção à obra. A primeira referência à determinada obra deverá vir completa e as seguintes utilizarão o modelo SOBRENOME, ANO, PÁGINA. Não deverão ser utilizadas expressões latinas tais como idemibidemopus citatum em caso de repetição de referência. Exemplo:

 

__________________________

1 ALVES, Rubem. Variações sobre a vida e a morte ou o feitiço erótico-herético da teologia. São Paulo: Loyola, 2005. p. 36.
2 ALVES, 2005, p. 37.
3 GIORDANO, Alessandra. Contar histórias: um recurso arteterapêutico de transformação e cura. São Paulo: Artes Médicas, 2007. p. 73.
4 ALVES, 2005, p. 45.
5 GIORDANO, 2007, p. 12.
6 GIORDANO, 2007, p. 13ss.


Citações Diretas:

As citações diretas de até três linhas deverão estar no corpo do texto entre aspas (“), acompanhando a configuração dos parágrafos. As citações diretas com mais de três linhas deverão ser apresentadas em paragrafação especial: recuo esquerdo de 4 cm, sem recuo de primeira linha, em espacejamento entrelinhas simples, espacejamento entre parágrafos no modo “automático”, fonte Arial tamanho 10pt, sem a utilização de aspas no início e no final da citação.

Observação: Cuidado com o plágio! Se você utiliza/reproduz uma frase de no mínimo quatro palavras idênticas e na sequência de um autor que você consultou, você deve colocar entre aspas. A reprodução de quatro palavras idênticas e na sequência sem as aspas já configura crime de plágio. Citações indiretas (paráfrase) são permitidas desde que resumam uma ideia geral ou sintetizem um trecho mais amplo (um capítulo, um livro, uma quantidade x de páginas) e desde que o autor seja devidamente mencionado. Atenção! Não se parafraseia uma única frase. Isso configura crime de plágio.

Atenciosamente,

A Comissão Organizadora.